Saturday, February 10, 2007

O mercadinho da Dona Sãozinha

Dona Sãozinha é diminutivo de São, que por sua vez é diminutivo de Conceição. Este é o nome da Dona do mercadinho que fica bem embaixo do meu prédio. É aqui que eu compro regularmente frutas e verduras e eventualmente coisas que eu esqueço nas compras em supermecados, como água mineral, arroz, azeite... Sim, apenas eventualmente, por que Dona Sãozinha não é boba e sabe que a comodidade tem o seu preço.
Talvez seja um mercadinho como os outros, mas para mim é especialmente peculiar por que posso acompanhar a sua vida quase todos o fins de semana. O que torna o mercadinho tão interessante é o fato de ser o ponto de encontro das velhas senhoras da vizinhança nos sábados de manhã. Ou seja, é a versão feminina dos barbeiros em Portugal, onde os velhos que nem estão pensando em cortar o cabelo ficam sentados para falar do Beira-Mar, Porto e Benfica. No mercadinho só muda o assunto, é a filha que está morando em Lisboa que engravidou mais uma vez, é o neto que vai estudar em Coimbra, o coitado do genro que foi mandado embora do emprego, o primo canalha que largou a mulher, ou seja quinze minutos lá é melhor do que horas de qualquer novela. Por isso algumas vezes quando passo em frente e vejo mais de duas pessoas desisto e vou a outro lugar, mas geralmente acabo por entrar e simplesmente “deixo estar” :))).
Mas também não falta ação no mercadinho, como no dia que uma senhora achou um rato morto enorme no meio das batatas. O evento foi motivo de um mês de conversa. Segundo Dona Sãozinha, já se sabia que o rato estava escondido pelo mercadinho, por isso ela colocou veneno em lugares estratégicos, além disso, garantiu prontamente que o fato não ia se repetir. Coitado do segundo rato que meses depois, desavisado, tentou entrar no mercadinho... Pereceu diante do ataque furioso de um grupo de vovozinhas raivosas munidas de vassouras, pedras e o que mais estivesse à mão... :))))
Mas a minha história preferida foi o dia que entrei sozinho na loja e comecei minhas compras pedindo Ice Tea. De repente Dona Sãozinha pega o telemóvel (telefone celular) e pede licença para ir aos fundos da loja. Fiquei lá entretido entre cebolas, queijos e papéis higiênicos, quando ouço baixinho o som do rádio, ao pé da água mineral:
- Tô sim, bom dia!
- Olá, bom dia quem está a falar?
- Tô, aqui é a Dona Conceição!
- Olá Dona Conceição, blá, blá, blá, blá, blá, blá.... então responda quem foi o maior português de todos os tempos?
- Pra mim foi o D. Afonso Henriques.
- blá, blá, blá, blá... Obrigado pela participação Dona Conceição, a senhora quer mandar lembranças para alguém?
- Sim para minha filha fulaninha e meu sobrinho sicraninho...

Segundos depois ela volta à loja me vê atônito e pergunta:
- Desculpe lá. Então o Leandro quer Ice Tea e mais o quê? :))))))))))))))

6 comments:

Esteva said...

Parabéns muiiito atrasados pelo teu aniversário e pelo textos do teu blogue que são óptimos, então este é uma delícia!

Beijinhos

de Serém ;)

Dona Minhoca said...

Figura essa senhora, hein? Dá até pra imaginar as cenas... :)

Marlos said...

Vamos atualizar essa bodega, ô Barraca!!!
Rapaz, sábado foi duro, ahn? Especialmente para ti...o bom mesmo é conseguir colocar tudo para fora, tudinho mesmo, incluindo o Chão da Porta hahahahahahah
Abraço

Lala said...

toc toc...
alguém por aqui???

manda notícias, menino!!!!
saudades!

Pi said...

ué rapá!i essi blogui cadê?

Wellington Almeida said...

Isso não foi aqui pelos lados de Santa Catarina, não? rsss